Dica - Réquiem para um sonho

Com a carreira iniciando, o diretor Darren Aronofsky já mostrou a que veio logo em seu segundo filme.


📷 Europa Filmes/Divulgação

Eram os anos 2000, e um diretor iniciante começava a chamar a atenção para si. Após a estréia com o filme Pi, de 1998, que é considerado um bom filme mas não fez tanto barulho, Darren Aronofsky estava lançando o seu novo projeto, Réquiem para um sonho, filme que o deixaria definitivamente em evidência e apresentava seu principal estilo cinematográfico para o mundo.

O filme trazia um roteiro simples : quatro personagens principais com grandes sonhos, que começam a vê-los desmoronar com a entrada das drogas em suas vidas. Apesar da "simplicidade" do tema, o que impactou a todos foi a forma como o diretor contou sua história.

Réquiem para um sonho começa trivial e corriqueiro dentro do tema proposto : Sara Goldfarb (Ellen Burstyn) é uma senhora viciada em um programa de TV, que tem um filho viciado em drogas : Harry (Jared Leto). Harry tem uma namorada por quem é completamente apaixonado, Marion (Jennifer Connelly), e sonha em abrir um pequeno negócio para ambos. As coisas vão mudando sutilmente quando a mãe de Harry, Sara, recebe um convite para participar de seu programa favorito, e fica obcecada em usar um vestido vermelho que não lhe cabe mais. Insatisfeita com a dieta que estava fazendo para emagrecer, Sara consegue com uma conhecida o telefone de um médico que lhe receita anfetaminas para perder peso mais rapidamente. Paralelamente, Harry decide junto com um amigo, Tyrone (Marlon Wayans) traficar drogas para conseguir mais dinheiro, ao passo que ele e Marion ficam cada vez mais viciados em heroína. 


📷 Europa Filmes/Divulgação

Com a decadência anunciada de seus personagens, Aronofsky lança mão de uma série de recursos para tornar a experiência de assistir ao filme cada vez mais desconfortável e imprevisível para o espectador. Planos divididos no mesmo enquadramento, closes frenéticos e detalhados, e cortes bruscos de continuidade são somente alguns destes recursos...tudo acompanhado de uma trilha sonora forte e dramática, que também se torna propositalmente repetitiva e incômoda em alguns momentos.

Jared Leto e Jennifer Connelly levam com seriedade a queda de seus personagens, mas Ellen Burstyn, mais conhecida por seu papel em O Exorcista, vai mais além e se entrega de forma surpreendente, provocando um misto de pena e perplexidade.

Assistir Réquiem para um sonho é mergulhar sem qualquer equipamento de segurança nas profundezas que a decadência humana pode alcançar. Não há qualquer cuidado em "não chocar". Pelo contrário : quanto mais desconfortável, melhor. Porém isso não é usado como mero recurso para gerar burburinho, e faz o filme ganhar pontos.

Quando terminar de assistir, espere um desconforto no estômago e um suspiro profundo acompanhados de uma angústia acumulada ao longo de 105 minutos. Sensações bem pertinentes com o título genial : Réquiem (que ao pé da letra significa uma "prece" feita para os mortos) para os sonhos que morrem dentro de nós em nossa desesperada busca em alcançá - los.

Trailer 





Dica - Réquiem para um sonho Dica - Réquiem para um sonho Reviewed by Adriano Rezende on dezembro 05, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário